Hotéis

Cada setor da arquitetura tem a sua peculiaridade. Ao elaborar qualquer projeto de arquitetura e interiores, é preciso avaliar qual é o seu objetivo e qual é o público que ele espera atender. Isso é especialmente importante no caso da arquitetura para hotéis.

Tudo começa com uma pesquisa de mercado, antes mesmo do início do projeto em si. Esse estudo irá determinar o modelo de hotel que deve ser construído, de acordo com o que o cliente e o público esperam.

As três principais categorias de hotéis, que estão substituindo o modelo de “estrelas”, são: o econômico,o midscale e o de luxo. Cada um tem um público e um estilo completamente diferente, e a arquitetura precisa refletir essa característica.

Esse conhecimento é fundamental, pois o risco de qualquer empreendimento é muito grande e pode ser ainda maior se houver uma dissonância do que o mercado precisa que ele seja.

O projeto de arquitetura de hotéis foca na eficiência

No momento da construção e da elaboração do projeto de arquitetura e interiores de um hotel, uma palavra deve sempre estar em mente: eficiência. Como essa estrutura naturalmente está em áreas bem localizadas, os terrenos costumam ser mais caros, fazendo com que o uso do espaço precise ser bem utilizado.

As categorias também têm influência em todas as partes do projeto. Por exemplo, no modelo econômico o foco do material e da construção é manter a eficiência de custo, de modo que o investimento não seja tão alto e possa ser recuperado mais facilmente.

Já em hotéis de luxo, o foco é outro. É claro que procurar o preço mais em conta é sempre bom, mas o foco é encontrar as soluções mais encantadoras possíveis.

Por isso cada modelo tem a sua dificuldade. Os mais econômicos são um pouco mais desafiadores, já que a limitação precisa ser compensada com uma dose extra de criatividade, para poder encontrar alguma forma de se diferenciar.

Em casos de modelos internacionais o desafio é maior ainda, pois é preciso fazer um equilíbrio entre a identidade da rede e, ao mesmo tempo, se adaptar à cultura local, para que o edifício possa ter a sua própria personalidade. Isso sem falar das especificações legais de cada região.

Veja alguns de nossos projetos de hotéis.

Vale ressaltar que eficiência não significa construir o máximo possível. Isso fica claro no tamanho dos quartos. O ideal não é colocar a maior quantidade de aposentos em detrimento do tamanho do mesmo, e sim projetar e usar o espaço de acordo com a demanda esperada. Isso é eficiência: usar os recursos de acordo com o que é preciso.

Outro grande desafio dos hotéis é encontrar o equilíbrio entre a decoração e as áreas técnicas. É comum arquitetos focarem na decoração e no design, que são uma delícia de trabalhar, mas o hotel é uma estrutura comercial que precisa ser funcional.

Áreas para movimentação dos funcionários, a cozinha, geradores e até mesmo detalhes menores devem ser considerados. Por exemplo, a caldeira é uma forma comum que hotéis usam para aquecer as duchas dos hóspedes de forma eficiente, e é preciso de um espaço para acomodá-las. Fica claro que são muitos detalhes que o arquiteto precisa atender.

No momento da construção, devido à grande movimentação de hóspedes, os arquitetos devem usar materiais mais resistentes e aproveitar sistemas construtivos com foco na pré-fabricação para agilizar as obras e, por consequência, o retorno do investimento.

E a Atmosfera Arquitetura tem muita experiência com esse modelo de negócio, além de contar com profissionais especialistas nos mais diversos ramos da engenharia, garantindo a concepção de todo os projetos complementares de instalações prediais necessários para a implantação do seu negócio.